Criação de Crônicas em Nove Passos

_Cronicas3

Se existe um guia de criação rápida de personagens (baixe em Guias e Fichas), como não existia ainda uma versão para a Ficha de Crônica?

Depois do sucesso do episódio do Perdidos no Play com o Tutorial da Ficha de Crônica, pretendemos ajudar ainda mais a facilitar a todos a compreensão sobre a construção de uma crônica. Para tornar esse processo ainda mais rápido, reunimos de forma sucinta tudo o que precisa para escrever as suas aventuras.

Ficha de Crônica se divide em duas partes: Ambientação (Passos 1 a 4) e Cenário (Passos 5 a 9). Quem tem o livro pode entender melhor os desdobramentos destas regras no primeiro capítulo do livro Crônicas RPG.

Passo 1: Estrutura
Deixe para pensar no nome da crônica para mais tarde, ele é muito importante para ser decidido assim tão rápido, no entanto a primeira coisa que se deve preencher são as outras informações que aparecem no Resumo.
Mundo: Escolha um mundo que agrade os jogadores e evite discipliná-los em universos que eles não tenham tanto interesse assim em conhecer.
Formato: Linguagem (Conto, Filme, Série, Livro ou Saga) + Nível de Poder (Dramático, Heróico ou Épico)
Exemplos: Conto Heroico, Filme Épico, Saga Dramática, Livro Épico, Conto Dramático, Série Épica, Saga Heroica ou Filme Dramático.
Estilo: Idade das Trevas, Terra Média ou Multiverso.
Magia: Subjetiva, Incomum, Constante ou Vulgar.

Passo 2: Perigos
Essas três informações são extremamente valiosas, pois vão orientar os jogadores a construirem seus personagens para aquela história em particular.
Trama Inicial: Resumo em uma frase sobre a tensão que introduz os jogadores à narrativa e amarra inicialmente a história.
Desafios Primários: São os desafios (veja abaixo) que mais vão aparecer na narrativa e todos os jogadores devem prestar atenção durante a criação de seus heróis.
Desafios Secundários: Os jogadores devem distribuir a atenção para estes desafios entre si (veja abaixo), para que seus heróis possam se destacar em momentos distintos da narrativa.
Desafios: Batalha, Escaramuça, Exorcismo, Exploração, Infiltração, Investigação, Jogo, Jornada, Navegação, Negociação, Perseguição, Politicagem, Regência, Ritual e Torneio.

Passo 3: Aliados e Inimigos
Por mais que seja possível fragmentar e esmiuçar as facções de qualquer disputa política, normalmente se começa separando simplesmente “nós” e “eles”.
Aliança: A causa comum que une os heróis na busca dos mesmos objetivos. Pode ser um nome dado ao grupo, uma organização ou facção influente, uma demanda profetizada por um líder respeitado, um objetivo que compartilham ou qualquer outra coisa que esclareça porque os heróis estão juntos.
Ameaças: Resumo em uma frase com as fontes de perigo que a Aliança pode enfrentar na história, muitas vezes listando diferentes grupos que podem oferecer risco à Aliança.

Passo 4: Cultura
São as forças mais influentes na região onde a crônica se passa e ditam o comportamento comum de diversos grupos. Ajudam a entender o cenário macro da história e as grandes causas que a moldaram nos últimos séculos.
Instituições: São os pilares culturais que sustentam a sociedade. Grupos tão gigantescos que diversas facções menores divergem entre si (mesmo que jamais diante dos outros) sobre os rumos tomados.
Exemplos: Grande Reino, Santa Igreja e Cultos Antigos (Idade das Trevas); Povos Livres e Forças das Sombras (Terra Média); ou Dominantes, Dominados e Evanescentes (Multiverso).
Raças/Povos: São os seres ou culturas que os jogadores podem escolher para seus personagens, mesmo que possam existir várias outras naquele cenário.

Passo 5: Protagonistas
Os tipos de personagens que os jogadores poderão escolher para criar seus heróis. Cada jogador deve escolher um arquétipo e construir seu protagonista em cima desta ideia. Cada arquétipo possui ao menos duas informações entre as seguir: Raça/Povo/Origem, Ocupação/Atividade, Posição Social/Status e Adjetivo, sem nenhuma ordem obrigatória.
Exemplos: Herdeiro promissor, Cavaleiro calejado, Guerreiro anão, Patrono imberbe, Arqueiro elfo, Escravo sarraceno, Dama idolatrada, Mago perturbado, Caçador meio-elfo, Druida britânico, Enganador carismático, Andarilho irlandês, Selvagem orc, Cristão fanático, Nobre devoto, Escudeiro valioso e Menestrel sábio.

Passo 6: Coadjuvantes e Antagonistas
Para evitar o acumulo desnecessário de nomes, serão destacados apenas os coadjuvantes e antagonistas mais importantes, especialmente os que servem de referência para uma instituição ou organização importante na crônica. Uma linha apenas é suficiente para cada personagem listado.
Exemplos: “Lorde Mornach: Senhor de Caer Cadan”, “Pyrcival Valoire: Capitão da guarda local”, “Dom Luberius: Bispo romano de Logres” e “Isela, a Forte: Esposa de Mornach de Caer Cadan.”

Passo 7: Organizações
Toda sociedade é governada por grupos de influência. Para ajudar os jogadores a se lembrarem quais são, o narrador apresenta as organizações mais relevantes no início da história, mesmo que elas percam importância ao longo da crônica e sejam substituídas por outras.
Exemplos: Casa Blaekfisk (família), Farejadores de Sangue (tribo), Caer Cadan (comunidade), Lanças Negras (tropa), Igreja de Glastonbury (templo), A Forja (guilda), Estrela do Leste (caravana) e Ratos do Esgoto (bando).

Passo 8: Passado Recente
O narrador precisa anotar os acontecimentos recentes mais relevantes para a crônica. Por aqui os jogadores vão se inteirar mais rapidamente sobre o que é preciso saber no começo do jogo, geralmente com uma explicação um pouco mais elaborada sobre a Trama Inicial e outros elementos presentes na Ficha de Crônica. Não existe uma forma única de definir o passado recente, pois ele pode ser apresentado num único texto ou na listagem de diversos acontecimentos distintos.

Passo 9: Particularidades
O narrador pode definir alguns detalhes específicos importantes para delinear o seu jogo, mas nem todas elas precisam aparecer na Ficha de Crônica.
Bônus: Em algumas crônicas o narrador pode oferecer vantagens adicionais para os protagonistas. Qualquer que seja o Bônus, deve ser o mesmo para todos os heróis.
Período: Definição sobre o período histórico ou equivalente da crônica, desnecessário nos cenários de fantasia onde todos conhecem sua cultura e geralmente ela é pouco restritiva. Importante para definir a disponibilidade de objetos e construções de acordo com o nível tecnológico. No Período se apresenta o século e o lugar que serão utilizados como referência tecnológica, tratando como Europa simplesmente se aparecer apenas a data.
Poderes: Habilidades sobrenaturais permitidas na história na forma das virtudes Dádivas, Poderes e Ritualista.
Regra: Caso queira modificar ou acrescentar algo específico.
Restrições: Impedimentos esclarecidos que os jogadores devem obedecer na criação de seus heróis.
Reputação: Restrição de protagonistas com um certo valor de Reputação (Status e Recursos iniciais).

Ficha de Crônica Preenchível: Baixe aqui uma versão em PDF preenchível da Ficha de Crônica.

Guias e Fichas - Ficha de Cronica

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *