Fantasmas

_Fantasma

Quase toda cultura possui histórias, muitas vezes assustadoras, de almas ou espíritos de pessoas, animais ou criaturas falecidos e que voltam do Outro Mundo.

Fantasmas são essências solitárias que assombram um local, objeto ou pessoa ao qual estiveram ligadas em vida, com histórias marcantes de desfechos brutais ou melancólicos. Suas formas residuais, as que são vistas pelos vivos, são diferenciadas pela influência positiva ou negativa que carregam e como está tênue o véu que separa o nosso do Outro Mundo.

O Potencial Dramático do Uso de Fantasmas na Narrativa

Fantasmas representam histórias anteriores à que está sendo desenvolvida pela crônica. Até mesmo nos mundos mais realistas, essas criaturas podem aparecer como fruto da imaginação de certos personagens, pois suas existências podem estar mais associadas pela forma como são lembradas do que como realmente viveram e morreram. Além do aspecto assustador, os narradores podem explorar esse tipo de ferramenta para acrescentar informações com significados sobrenaturais, ou mesmo desenvolver pensamentos negativos exclusivos de personagens mais solitários. Qualquer que seja a mitologia do Outro Mundo que o seu cenário utilize, é preciso que sempre exista um grau de mistério e desconhecimento para os heróis.

As Relações com os Mortos

Nas religiões primordiais, o contato com os fantasmas podia tomar a forma da veneração dos mortos, com sacrifícios e tentativas de apaziguá-los para evitar que lhes façam mal. Outras culturas exploravam uma postura animista, em que alguns indivíduos tinham contato com os mundos dos espíritos, ou uma postura necromântica, em que se acredita ser possível tirar poder das almas e às vezes dominá-las feito esqueletos e zumbis. Todas essas influências estão presentes na mentalidade medieval e podem ser exploradas em praticamente todas as crônicas.

Além do contato voluntário de alguns vivos com o Outro Mundo, ou a eventual visita de fantasmas para assombrar aqueles a quem são acorrentados, é muito comum que exista uma Noite dos Mortos, geralmente associada ao solstício de inverno, quando a noite é a mais longa de todas as estações. Nelas ocorrem as temidas Peregrinações dos Mortos, quando uma procissão daqueles que um dia viveram cruzam as terras dos vivos por alguma razão desconhecida.

Domínios dos Espíritos

O local onde fantasmas são avistados é descrito como assombrado, e frequentemente considerado como moradia de espíritos, talvez antigos moradores, ou relacionados de alguma forma àquela propriedade. A atividade sobrenatural no interior de casas é associada eventos violentos ou trágicos ocorridos nelas, como assassinato, morte acidental ou suicídio. Mas nem todos os locais assombrados foram cenário de uma morte violenta, ou mesmo de atos de violência. Muitas culturas e religiões acreditam que a essência de um ser, como a alma, continua a existir após a morte. Algumas concepções filosóficas e religiosas sustentam que os espíritos daqueles que morreram não vão embora, mas permanecem presos dentro da propriedade onde suas memórias e energia ainda são fortes.

Fichas de Fantasmas

Atributos: Varia de acordo com o morto.
Virtudes: Dádiva Necromântica (Causar Medo) e Incorpóreo.
Fraqueza: Atormentado.
Estratégia: Mesmo que não tenha a intenção, fantasmas lançam Causar Medo logo que aparecem.

São incapazes de se mover, tocar ou mesmo se manter visíveis por muito tempo. Também não podem entrar em combate, conseguindo apenas interagir por uma cena. Estão sempre aprisionados a um lugar, objeto ou indivíduo, aparecendo apenas quando o véu entre o mundo dos vivos e dos mortos se torna mais fino. Seu comportamento geralmente inclui arrependido, angustiado, lento, obsessivo e penitente.

Seguem algumas ideias para a utilização de Fantasmas:
♦ Nenhum fantasma deve ser genérico, pois sua descrição e características particulares varia com suas histórias.
♦ Explore as virtudes e fraquezas apresentadas acima, mas se desejar, é possivel incluir outras exlusivas para cada fantasma.
♦ O surgimento de fantasmas geralmente criam pontas que podem ser fechadas posteriormente para definir seus destinos.
♦ A comunicação com os mortos varia de cenário para cenário, mas contatos individuais e solitários sempre pode ser explorado.
♦ Esse contato com os mortos deve ser de alguma forma nebuloso, jamais cristalino e objetivo, senão ele deixa de ser sobrenatural.
♦ Familiares e entes queridos podem retornar para se despedirem de uma forma mais apropriada, especialmente nos sonhos.
♦ O véu que separa esse e o Outro Mundo é mais fino em lugares como cemitérios, campos de batalhas e lugares abandonadas.
♦ Quanto mais testemunhas presentes, menores as chances de um fantasma conseguir cruzar os mundos para chegar neste.
♦ A visita de fantasmas de sacerdotes são boas formas de ensinar certos personagens que dá má sorte tirar a vida dos ungidos.
♦ Quando um protagonista for acorrentado à existência de fantasmas eles podem se tornar bons coadjuvantes ou antagonistas.
♦ Membros fantasmas de mutilados podem oferecer alguma capacidade sobrenatural que compense a desvantagem.
♦ Fogos-fátuos são gases fosforecentes resultantes da decomposição orgânica em pântanos e cemitários, ou fantasmar?
♦ “Damas de branco” são recorrentes em diversas culturas, tendo como denominador a perda ou traição de um marido ou noivo.
♦ Não insira fantasmas numa crônica já agitada demais com dilemas mortais, pois suas historias precisam de tempo.
♦ Em certas ambientações fantasmas podem ser criaturas a serem enfrentadas e destruídas, mas nesses casos elas são mais parecidas com criaturas genéricas.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *