Dragões

_DragõesA maior de todas as criaturas mitológicas muito provavelmente surgiu de eventuais encontros com ossadas de grandes criaturas, como baleias, crocodilos ou mesmo dinossauros. Por ser encontrada nas mais variadas culturas, sua forma e conteúdo sofre modificações de acordo com os povos, podendo ser detentoras de sabedoria ou simples forças de destruição.

Segue uma lista de dragões de diferentes origens:
Anzu: Deus-dragão sumério, podia cuspir fogo e água.
Apalala: Homem que renasceu como um dragão perverso na Índia.
Azi Dahaka: Monstro encoleirado do senhor das trevas da Pérsia.
Bakunawa: Dragão lendário das Filipinas que vivia no mar profundo.
Dragão de Wawel: Besta alada polonesa que aterrorizada os homens.
Jormungand: O segundo filho de Loki é o maior de todos os dragões nórdicos.
Ladon: Guardião grego que protegia as maçãs douradas de Hera.
Mestre Stootworm: Dragão maligno celta que devorava homens e tesouros.
Quetzalcóatl: Divindade azteca-maia que parece um pássaro-serpente.
Ryujin: Senhor das águas e tataravô do primeiro imperador japonês.
Tiamat: Deusa babilônica dos elementos e senhora dos oceanos.

Anatomia Dracônica

A descrição de um dragão muda de acordo com cada mundo de fantasia, portanto o narrador deve esclarecer detalhes sobre a aparência da criatura para que todos os jogadores possam compreender e reagir apropriadamente.
Braços e Asas: Dragões possuem membros superiores, que podem ser como as patas traseiras ou mais elaboradas como braços mesmo. Existe uma criatura que se parece com um jovem dragão por toda a vida, mas possui as asas no lugar dos membros superiores. Alguns interpretam os Wyverns como antepassados dos dragões, mas é provável que sejam criaturas distintas.
Cauda: Além de dar estabilidade, a cauda também funciona como arma, podendo arremessar uma vítima a metros de distância.
Sopro de Fogo: Seja por uma bile incendiária que é cuspida sobre as vítimas ou uma pesada chama de origem mágica, o sopro do dragão pode ter o formato de coluna, cone ou nuvem, e ainda pode ser de outra fonte diferente do fogo, como gelo, eletricidade ou ácido.
Carapaça: A armadura natural de um dragão costuma ser vermelha, verde, preta, azul ou mesmo metálica. Como no passado pode ter perdido num combate anterior parte das escamas (que não se regeneram), o narrador pode definir que exite uma falha e estabelecer um teste de Observar (Percepção) para que alguém possa perceber, caso exista a possibilidade. Um ataque com um ponto de Elã gasto para esse propósito (com uma penalidade a partir do tamanho da brecha) irá anular a Absorção da criatura.
Poderes Dracônicos: A partir da plena maturidade, todo dragão começa a despertar alguns poderes em particular. As opções disponíveis de poderes são Assombração, Causar Medo, Captar Emoções, Contramagia, Contato Mental, Dominação e Imponência e Sentidos Aguçados.

Dragão, Jovem
Enorme criatura reptiliana, parte lagarto, parte serpente, com asas poderosas e um terrível sopro de fogo. Por ser não ser muito antigo, ainda possui intelecto limitado e se porta mais como animal que como criatura senciente.
Atributos: Agilidade 4, Força 7, Inteligência 1, Manejo 6, Percepção 4, Pontaria 2 (+2 Sopro de Fogo), Resistência 6, Vontade 3 e Outros 0.
Combate (In/Def/Ab/Vi): Físico 4/3/4/8.
Ataques: Mordida 6/9f ou Sopro de Fogo 4/11f.
Virtudes: Armadura Natural, Ataque Rasante, Enorme (Tamanho), Refúgio (Caverna no alto da montanha), Resistência contra Fogo, Riqueza 3, Sopro de Fogo e Voo (6m).
Fraquezas: Enraizado, Sanguinário e Vício (Dormir na pilha de tesouros por dias).
Posses: Tesouros acumulados em seu refúgio.
Estratégia: Instalado em seu ninho num refúgio bem alto, ele sobrevoa sua Morada para caçar uma vítima por vez, para não esvaziar sua zona de caça.

Dragão, Adulto
Com o passar das décadas, a criatura ganha tamanho, inteligência e poder. De mero animal com um ninho isolado nas montanhas, a ela entende que pode ser cortejada e seguida por cultistas humanos ou similares.
Atributos: Agilidade 3, Blefe 4, Conhecimento 4, Força 8, Inteligência 3, Lábia 3, Liderança 4, Manejo 7, Percepção 4, Pontaria 3 (+2 Sopro de Fogo), Resistência 7, Vontade 4 e Outros 0.
Combate (In/Def/Ab/Vi): Físico 3/3/5/10, Mental 3/2/4/4 e Social 3/2/5/4
Ataques: Mordida 7/10f ou Sopro de Fogo 5/12f, Jogo 3/3m e Enganação ou Imposição 4/4s.
Virtudes: Armadura Natural, Ataque Rasante, Colossal (Tamanho), Decrepitude 1 (Agilidade), Imunidade a Fogo, Poderes Dracônicos 2 (Causar Medo, Dominação e Imponência), Refúgio (Caverna no alto da montanha), Riqueza 6, Sopro de Fogo e Voo (7m).
Fraquezas: Arrogância, Delírio (Grandeza), Enraizado, Territorialista, Vício (Dormir na pilha de tesouros por dias) e Vingativo.
Posses: Tesouros acumulados em seu refúgio.
Estratégia: Quando aprende a se comunicar com outras espécies, o dragão reúne um bando de cultistas que o adoram e lhe trazem presentes e fazem sacrifícios. Tratar a sua Reputação como a de um Lorde (Recursos e Status 5).

Dragão, Ancião
Com o passar dos séculos, a criatura ganha sabedoria, ambição e um grande conhecimento mágico. Além do tesouro gigantesco guardado, o dragão passa a acreditar que pode se tornar uma divindade de poder incontestável.
Atributos: Agilidade 2, Blefe 5, Conhecimento 5, Força 8, Inteligência 5, Lábia 4, Liderança 5, Manejo 7, Percepção 4, Pontaria 3 (+2 Sopro de Fogo), Resistência 7, Vontade 5 e Outros 0.
Combate (In/Def/Ab/Vi): Físico 2/3/5/10, Mental 5/2/5/5 e Social 4/3/6/5
Ataques: Mordida 7/10f ou Sopro de Fogo 5/12f, Jogo 5/5m e Enganação ou Imposição 5/5s.
Virtudes: Armadura Natural, Ataque Rasante, Colossal (Tamanho), Imunidade a Fogo, Poderes Dracônicos 4 (Causar Medo, Contramagia, Contato Mental, Dominação e Imponência), Riqueza 9, Refúgio (Caverna no alto da montanha), Sentir Poderes, Sopro de Fogo e Voo (8m).
Fraquezas: Arrogância, Decrepitude 2 (Agilidade), Delírio (Grandeza), Enraizado, Territorialista, Vício (Dormir na pilha de tesouros por dias) e Vingativo.
Posses: Tesouros acumulados em seu refúgio.
Estratégia: Se os Povos Livres não o impedirem, seus cultistas formarão exércitos que poderão estender ainda mais a sua área de atuação geográfica. Tratar a sua Reputação como a de um Monarca (Recursos e Status 6).

_Poderes

Seguem algumas ideias para a utilização de Dragões:
♦ Quando são novos agem como predadores que aterrorizam uma região, mas ainda podem ser caçados.
♦ Se bem treinados, podem servir como montaria, apesar de serem extremamente instáveis.
♦ Sua avareza não encontra limites, pois jamais se fartam de acumular objetos preciosos.
♦ Possuem um período de acasalamento ainda muito novos, e depois disso jamais pensam no assunto novamente.
♦ Por serem extremamente solitários, quase não se relacionam entre si, preferindo lutar pelo território em disputa.
♦ A evolução de cada dragão pode fazer com que se transforme em uma criatura única.
♦ Adaptáveis, em poucas gerações mudam certas características para alinhá-las à natureza local.
♦ Dragões de ambientes gelados costumam ser brancos e com bafo de gelo no lugar do fogo.
♦ Charcos e pântanos são o lar de dragões que cospem ácido e têm a alma negra como sua carapaça.
♦ Dragões vermelhos habitam as montanhas mais altas e nas cavernas mais profundas de todas.
♦ Em um determinado momento entendem que alguns humanóides se mostram dispostos a servi-lo.
♦ Com a interação com os humanóides seu intelecto dá um salto surpreendente.
♦ Seus seguidores com o tempo lhe trazem sacrifícios que podem tirar sua necessidade de caçar.
♦ Jogadores cruéis, gostam de submeter suas vítimas a diferentes tipos de tortura.
♦ Ao se tornarem anciões começam a se imaginar como parte integrante das divindades daquele mundo.

3 Comments

on “Dragões
3 Comments on “Dragões
  1. Gostei da parte de como usar a regência, junto as questões de organizações criam um antagonista ou aliado poderoso e diferente.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *