Anjos

_anjos

Anjos também existem nas culturas muçulmanas, zoroastristas, hindus e budistas, mas em nenhuma delas são tão fortes e tão ricos em variações como na judaico-cristã.

Nem todo mundo conferiu ainda, mas no site do livro A Batalha do Apocalipse já existe um suplemento de RPG em PDF para o D&D 5ªE chamado Filhos do Éden. Em seu site, o Filosofia Nerd, o autor Eduardo Spohr conta que logo será publicado uma enciclopédia visual sobre a sua tetralogia angelical, perfeito para quem gostaria de fazer uma campanha tomando como base a mitologia dos anjos. Por aqui, vamos apresentar as fichas dessas criaturas na sua nomenclatura mais disseminada no mundo, a Areopagita.

A palavra Anjo significa ‘mensageiro’, e segundo a tradição judaico-cristã diz respeito às criaturas que fazem o contato entre os homens e Deus. Na iconografia clássica possuem asas, halo (anel de luz que circundam a cabeça ou o corpo todo) e emanam uma beleza pura. Sua classificação mais conhecida deriva do Pseudo-Dionísio e de Tomás de Aquino, que divide os anjos em nove Coros, separados em três Tríades. A primeira Tríade, aqueles mais próximos de Deus, são os Serafins, os Querubins e os Ofanin. A segunda Tríade é composta pelos príncipes da corte celestial: Dominações, Virtudes e Potestades. A terceira Tríade é a dos emissários, os únicos os quais apresentamos fichas de personagem por poderem alcançar o mundo material: Principados, Arcanjos e Anjos.

Primeira Tríade: Serafins, Querubins e Ofanin

São muito mais próximos de Deus que dos outros anjos, tanto que sua atenção está voltada para forças tão esmagadoramente maiores e mais impressionantes que praticamente não se preocupam com os reinos mundanos feito as outras Tríades. Seu poder é tão descomunal que não precisam de fichas de personagem.
Serafim: Seu nome significa ‘Aqueles que Queimam’, pois são tão próximas de Deus que emanam parte de sua essência divina. Eles assistem a tudo do lado de Deus e atuam apenas para inflamar os anjos inferiores para cumprir seus desígnios. Possuem tanto poder que o contato em qualquer nível com criaturas mortais pode fazer com que sua luz os transformem em cinzas.
Querubim: Possuidores de formas físicas híbridas, parte humana, parte animal, esses seres alados atuam como a Voz de Deus, pois são os mais elevados dos anjos com a habilidade de conversar com outras criaturas, mesmo que essa interação seja apenas com anjos das tríades inferiores.
Ofanin: Seu nome original significa ‘Anciãos’, pois são os detentores de todo o conhecimento divino, cujo peso insustentável os mantém prostrados diante de Deus, voltados unicamente à sua exclusiva devoção e completamente ignorantes para todo o resto da existência.

Segunda Tríade: Dominações, Virtudes e Potestades

Seres superiores isolados dos reinos mundanos, mas que em situações bastante específicas são capazes de se manifestar no mundo dos homens para alterar o curso da existência em favor de Deus. Geralmente encaminham ordens para a Terceira Tríade cruzar as fronteiras dos mundos.
Dominações: Possuem forma humana alada de beleza inacreditável, com uma orbe de luz próxima da cabeça muito mais forte que o seu halo, indicando seu alto status na hierarquia angelical. Regulam as atividades dos anjos inferiores, distribuindo funções e mistérios, e em situações extremamente raras, fazendo alguma integração entre o mundo material e o espiritual, embora ninguém se lembre da última vez que isso ocorreu.
Virtudes: Responsáveis pela manutenção dos astros e do destino dos mortais para manter a ordem no universo, são capazes de transmitir uma quantidade absurda de energia divina, eventualmente quebrando a barreira da realidade e permitindo que santos e heróis venham a realizar milagres no mundo mortal, sempre invocados em grandes gestos de coragem, um sentimento ao qual estão intrinsecamente ligados.
Potestades: Condutores da ordem sagrada e portadores da consciência de toda a humanidade, são encarregados de absorver a história e os acontecimentos mundanos, dotados com o poder de trazer nascimento e morte no mundo mortal quando necessário para a manutenção da vontade divina. Também são conhecidos como os guardiões dos animais.

Terceira Tríade: Principados, Arcanjos e Anjos

Composta pelos anjos que realmente descem dos planos superiores para fazer valer os desígnios divinos, é a única Tríade cujos Coros são representados com fichas de personagem, pois apenas dentro dos reinos mundanos são capazes de materializar plenamente.

Principado
Anjo encarregado de encaminhar as ordens das Dominações e Potestades para os reinos abaixo das hostes celestiais. Protege cidades e países, assim como a flora e fauna. Patrono das ideologias, artes e da ciência.
Atributos: Agilidade 6, Força 6, Inteligência 6, Manejo 8, Percepção 6, Resistência 7, Vontade 7 e Outros 4.
Combate (In/Def/Ab/Vi): Físico 6/4/5/7, Mental 6/3/4/7 e Social 4/2/6/4.
Ataque: Espada bastarda 8/8f.
Virtudes: Ataque Rasante, Armadura Natural, Voo (7m), Autoridade (Principado), Poderes Angelicais 6 (Acalmar, Benção, Brutalidade, Contato Mental, Criar Luz, Cura pelas Mãos, Imponência e Proteção) e Proteção Divina.
Fraquezas: Odiado (Demônios) e Servo.
Posses: Espada bastarda.
Estratégia: Lidera um grupo de 3d6 ou mais anjos para ajudá-los em suas intervenções.

Arcanjo
Senhores de outros anjos e arauto dos desígnios divinos, tanto para homens como para anjos. Patrono de bons relacionamentos, da sabedoria e do conhecimento, assim como da guerra contra as forças infernais.
Atributos: Agilidade 5, Força 5, Inteligência 5, Manejo 7, Percepção 5 (-2S Empatia), Resistência 6, Vontade 6 e Outros 4.
Combate (In/Def/Ab/Vi): Físico 5/4/4/6, Mental 5/3/4/6 e Social 4/2/6/4.
Ataque: Espada bastarda 7/7f. Muitas vezes essa arma é a Relíquia do personagem.
Virtudes: Ataque Rasante, Armadura Natural, Voo (7m), Autoridade (Arcanjo), Relíquia, Poderes Angelicais 4 (Benção, Brutalidade, Contato Mental, Criar Luz, Imponência e Proteção) e Proteção Divina.
Fraquezas: Arrogância, Odiado (Demônios) e Servo.
Posses: Espada bastarda.
Estratégia: Lidera um grupo de 1d6 ou mais anjos para ajudá-lo em combate.

Anjos 
Ser mais próximos do reino mundano, pertence ao mais baixo grau da hierarquia angelical, mas mesmo assim é detentor de uma bela forma humana alada.
Atributos: Agilidade 4, Força 4, Inteligência 4, Manejo 6, Percepção 4, Resistência 5, Vontade 5 e Outros 0.
Combate (In/Def/Ab/Vi): Físico 4/3/3/5.
Ataque: Espada bastarda 6/6f.
Virtudes: Ataque Rasante, Armadura Natural, Voo (6m), Poderes Angelicais 3 (Brutalidade, Contato Mental, Criar Luz, Imponência e Proteção) e Proteção Divina.
Fraquezas: Odiado (Demônios) e Servo.
Posses: Espada bastarda.
Estratégia: Aproveita-se das virtudes Voo e Ataque Rasante.

Seguem algumas ideias para a utilização de Anjos:
♦ Anjos podem ser associados a outras culturas além da judaico-cristã, mas em nenhuma outra é tão representativa.
♦ As hostes celestiais devem ser manter puras para enfrentar as hordas infernais durante o Apocalipse, o fim dos tempos.
♦ Anjos podem se conspurcar e se tornar criaturas caídas equivalente às mundanas, nem sempre se transformando em demônios,
♦ A Terceira Tríade está mais ligada aos reinos mundanos do o celestial, por essa razão nunca fica indiferente aos mortais
♦ Os Principados são criaturas mais ligadas às nações e a consciência de que cada povo deve ser mais ou menos protegido.
♦ Tal qual Miguel, Rafael, Gabriel, Uriel, Ituriel, Amitiel e Samuel, os arcanjos possuem a individualidade mais aguçada.
♦ Apesar de serem os mais rasos da hierarquia angelical, os anjos mesmo assim parecem divinos aos olhos mortais.
♦ A Segunda Tríade governa o verdadeiro mundo dos anjos, geralmente ilustrado como os campos elíseos acima das nuvens.
♦ As Dominações são como os governantes que reúnem as hostes angelicais e as envia para onde quer que seja necessário.
♦ Menos autoconscientes que os outros Coros de sua Tríade (como os Ofanin), as Virtudes não possuem individualidade.
♦ As Potestades observam o mundo do Alto Celestial e levam esse conhecimento para os outros Coros angelicais.
♦ A Primeira Tríade trata de forças desconunais que equivalem ou ultrapassam as dos Deuses das mitologias politeístas.
♦ Todos os serem que ousam se aproximar demais de Deus sem autorização costumam ser incinerados pela luz dos Serafim.
♦ Querubins costumam ser retratados como crianças pequenas dotadas de asas que representam a forma mais absoluta da pureza.
♦ Os Ofanin são a mais completa fonte de conhecimento, mas para alcançá-los é necessário estar muito próximo de Deus.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *